Quantcast
Atletismo: Melhor português na Maratona de Lisboa corre há quatro anos «por brincadeira» - Mundo News Web Interstitial Ad Example
5 de Dezembro, 2021

Mundo News

Seu Mundo! Suas Notícias!

Atletismo: Melhor português na Maratona de Lisboa corre há quatro anos «por brincadeira»

4 min read
Edgar Matias, o primeiro português a cortar a meta, no domingo, na Maratona de Lisboa, começou a correr há apenas quatro anos “por brincadeira”, admitiu hoje...

Edgar Matias, o adiante lusitano a golpear a níveo, no domingo, na Maratona de Lisboa, começou a acelerar há exclusivamente quatro anos “por farra”, admitiu hoje à filial Lusa o desportista amásio, de 42 anos.

O galeria de Melides completou a intervalo, na imprescindível portuguesa, em 02:29:13 horas, melhor fronteira particular naquela que foi exclusivamente a sua herdade maratona solene, a começar de que decidiu, em 2017, inaugurar a acelerar “para assistir uma vez que é que o corpo reage”.

“Numa sexta-feira, em seguida do lavor, estava num cafeeiro a beber uma cerveja e passaram a acelerar uns amigos que faziam uns treinos. Perguntei-lhes se queriam tomar uma, que pagava eu, e disse-lhes, na farra, que na semana seguinte ia acelerar com eles”, relatou Edgar Matias.

Os amigos “jamais acreditaram”, todavia Edgar Matias, que há mais de 20 anos “tinha compreendido, no Desporto Escolar, que tinha qualquer predisposição para o atletismo”, todavia não se dedicou a direito à modalidade, foi para moradia e começou “a matutar que idade porreiro inaugurar a acelerar outra turno, para assistir uma vez que é que o corpo reage”.

“Logo, comecei a acelerar sozinho. Vi que a arranjo ao interesse até foi rápida, a reconquista igualmente. A coisa foi surgindo assim e os resultados foram aparecendo”, explicou o desportista que representa, atualmente, o Bando Desportivo e Risonho de São Francisco da Montanha.

“O agremiação da terreno”, que é “sem incerteza o maior agremiação de atletismo da distrito”, igualmente teve a sua quota-parte de dever na evolução de Edgar Matias, pois foi a combalir do instante em que recebeu o invitação que começou a efectuar treinos “mais dedicados e adaptados” às provas.

“Comecei a possuir melhores resultados e a evolução tem sido exponencial. Comecei a praticar com o Rui Dolores, único desportista de escol de xterra [triatlo de ‘todo-o-terreno’], cá de Grândola, e a combalir do instante em que comecei a assimilar os treinos dele, a minha evolução, no derradeiro ano e conduto, tem sido inesperado”, explicou.

No entanto, graças às “características morfológicas favoráveis”, Edgar Matias correu a sua primeira maratona solene, em Sevilha, em 2019, portanto “inferior das três horas” (02:51) e foi continuamente a aprimorar a sua fronteira particular, até sagrar-se vencedor pátrio do escalão V40, no domingo, na Maratona de Lisboa, mostra integrada no campeonato pátrio da intervalo pela Agregação Vernáculo de Veteranos (ANAV).

“O meu objetivo idade atracar o meu recorde particular e, com isso, tentar ser vencedor lusitano do escalão V40. Ser o adiante lusitano a golpear a níveo foi a alvoroço maior porque, de todo, jamais estava à espera”, assumiu o desportista.

Ingénito de Melides, no concelho de Grândola, o ‘Fininho’ foi descontinuado mais de uma década de vezes, durante a entrevista à Lusa, por conterrâneos, familiares e amigos que faziam interrogação de lhe brindar os congratulações lã produto conseguido.

A sua popularidade na terreno natal socorro, igualmente, a educar o triunfo da iniciativa solidária que teve, em agosto de 2020, quando decidiu acelerar “a maior intervalo de beira-mar da Europa”, que é o areão “a começar de a beira-mar do Talinga Setentrião, em Sines, até à marina de Tróia”, num totalidade de 65 quilómetros, com a qual conseguiu recrutar “muro de 5.000 euros” para o vivenda de idosos da Lar do Povaléu.

A teoria surgiu posteriormente o cancelamento da Maratona Atlântica em 2020, devido à pandemia de covid-19, uma maratona que se corre anualmente entre Melides e Tróia, pela areia da beira-mar, mostra predileta de Edgar Matias, até porque foi igualmente “com ela em mente” que começou a acelerar, em 2017.

Foi esse o instante em que descobriu o “prazer descomunal”, que “jamais se consegue educar”, que é o contacto com a natura que a corrida lhe proporciona e que transmite continuamente, quase em formato de ‘slogan’, para os familiares e amigos que acompanham o seu discurso: “a corrida liberta-me”.

“A corrida liberta-me porque é, de evento, o que sinto quando estou a acelerar. Enquanto corro, jamais penso em problemas, solitário penso em coisas boas. E dá-me uma satisfação inesperado, esse contacto com a natura. Tal maneira que jamais apetite de acelerar com cantiga, apetite mesmo de sorver tudo o que a natura me consegue brindar”, frisou.

Aos 42 anos, o Engenheiro de Automação, Controlo e Instrumentação da Indorama, empresa do ramada da indústria petroquímica, em Sines, vai presentemente progredir os seus treinos diários de “uma hora a uma hora e meia, no supremo”, sem algum objetivo de resultados em mente.

“O objetivo é continuamente superar-me a mim privativo e tentar atracar o meu recorde particular”, resumiu.

Nascente: https://www.futebol365.pt/cláusula/269754-atletismo-melhor-portugues-na-maratona-de-lisboa-corre-ha-quatro-anos-por-brincadeira/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Copyright © All rights reserved. | Newsphere by AF themes.