Quantcast
Supertaça: Palatsi sente representante da II Liga a desfrutar da festa - Mundo News Web Interstitial Ad Example
19 de Agosto, 2022

Mundo News

Seu Mundo! Suas Notícias!

Supertaça: Palatsi sente representante da II Liga a desfrutar da festa

4 min read
O Beira-Mar, então recém-despromovido à II Liga, abordou como “uma festa” a Supertaça Cândido de Oliveira de 1999, nota o ex-futebolista Jerôme Palatsi, prevendo cenário idêntico...

“À saída, sabíamos que tínhamos poucas haveres de arrebatar. Lá disso, naquela profundeza, havia jogo de ida e rotação e o segundo idade nas Antas. Época bem árduo criarmos uma susto neste feitio. Tudo pode suceder num jogo de futebol, contudo em dois é mais custoso. Encarámos a Supertaça uma vez que uma sarau e a cereja em alto do bolo, porque jamais idade o mais necessário para nós. Tínhamos descido, havia uma era pela dianteira e importava-nos a alta à I Fusão”, contou à sucursal Lusa o avito guarda-redes gálico.

O FC Porto, vencedor vernáculo e campeão da Taça de Portugal em 2021/22, e o recém-despromovido Tondela, finalista suplantado da mostra ‘rainha’, defrontam-se no sábado, às 20:45, no Arena Municipal de Aveiro, na 44.ª edição da Supertaça Desobstruído de Oliveira.

“É perceptível que o FC Porto é abertamente predilecto. É o vencedor vernáculo. É veras que perdeu muitos jogadores influentes, contudo o FC Porto é o FC Porto. O Tondela desceu de compartimento e igualmente perdeu bastantes atletas. Para a susto suceder, terá de possuir único jogo sensacional da parcela do Tondela ou único dia menos humano do FC Porto”, conjeturou.

Jerôme Palatsi, de 52 anos, adverte que os beirões “podem remunerar custoso e o produto ser profuso” se quiserem “ir para alto do contendor e jogar de afim para afim”, devendo “possuir conceito” do desnível qualitativo em lista ao recordista de troféus da mostra, com 22.

“Nulo possuir de realizar único jogo conhecedor, advogar bravo e, mormente, jamais tolerar golos, porque é continuamente bem custoso ofertar a rotação contra uma equipa destas. Têm de jogar desta configuração para o FC Porto se desesperar, terem chances em contra-ataque ou, até quem sabe, poderem lucrar nos penáltis. O jogo do Tondela vai ser curto a isto”, avaliou.

A encetativo dos ‘auriverdes’ na terceira competição mais necessário do futebol vernáculo tem similitudes com a única comparecimento do Margem-Mar, num ano em que juntou a ‘ruína’ na II Fusão a uma inédita tomada da Taça de Portugal (1-0 na final na presença de o Campomaiorense, com único hausto de Ricardo Sousa).

“Tentámos realizar a susto. Jogámos o que sabíamos, que passava por tentar advogar contra uma equipa fortíssima, e até correu bravo. Estávamos a lucrar no avante jogo, contudo vimos cartões vermelhos [Gila e Konadu] nas duas partidas. Isso desequilibrou”, detalhou Jerôme Palatsi a respeito de a única Supertaça da raconto entre clubes da I e II Ligas.

Em 07 de agosto de 1999, no abortado Arena Mário Duarte, em Aveiro, o FC Porto reagiu com golos de Domingos Pachorra e Esquerdinha ao atenção incipiente de Fary (1-2), oito dias antes de tornar a derruir os ‘aurinegros’ por 3-1, desta turno nas Antas, onde Mário Jardel ‘bisou’ e Lobão marcou na própria marca, contra único penálti converso por Óscar.

“O FC Porto jamais ganhou por berço das expulsões dos nossos jogadores, contudo porque foi basta e merecia. Quando jogamos contra único contendor mais áspero, 11 contra 11 já é árduo e 10 contra 11 torna-se ainda mais. Chegou a uma profundeza em que jamais conseguimos mais e o FC Porto fez a mudança pela propensão congénito dos seus jogadores”, ressalvou.

Com duas passagens na marca do Margem-Mar (1996/2001 e 2008/2009), Jerôme Palatsi admite que a guião na Supertaça de 1999 para o pentacampeão vernáculo vigente “jamais foi zero árduo de administrar”, ao opoente da descida à II Fusão, ‘selada’ na 34.ª e última vigia, duas semanas antes de a equipa de António Sousa participar na final da mostra ‘rainha’.

“Tínhamos descido de compartimento e tomado a Taça de Portugal no mesmo ano e todos pensavam que idade funesto, já que o corporação queria permanecer na I Fusão. Olhando à raconto do Margem-Mar, possuir suplantado a Taça de Portugal foi esplêndido. Jamais sei quantos anos terá de aguardar para ir outra turno ao Jamor. Presentemente, a Supertaça foi encarada uma vez que um tanto mais na nossa tempo de 1999/00, até porque zero tínhamos a desmerecer nesses encontros”, reiterou.

Os aveirenses “acabaram em sarau” com o vertiginoso revinda à escol, ao serem segundos colocados da II Fusão, com os mesmos 65 pontos do vencedor Paços de Ferreira, numa campanha marcada pela encetativo nas provas continentais, que terminou com a eliminação na primeira vigia da logo designada Taça UEFA, dianteira aos neerlandeses do Vitesse.

“A virilidade do quadrilha guiou o Margem-Mar nesses anos. Jamais sei se tínhamos espaçoso equipa, contudo havia único quadrilha de amigos e a maioria jogou corporação vários anos. Isso faz a mudança num corporação curto e foi necessário neste triunfo”, concluiu o detentor de três subidas com os ‘aurinegros’, a última uma vez que vencedor da II Fusão (1997/98, 1999/00 e 2009/10).

Natividade: https://www.futebol365.pt/item/283948-supertaca-palatsi-sente-representante-da-ii-liga-a-desfrutar-da-festa/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Copyright © All rights reserved. | Newsphere by AF themes.